quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Cardápio de jogador


Vida de jogador de futebol não é brincadeira. A pressão por trás do campo é, evidentemente, grande.

Quando o apito do juiz indica o início do jogo, os telespectadores sentem o coração bater mais forte. É uma expectativa de vitória, mesclada com ansiedade. Imagine só como ficam os jogadores em campo, que sabem que a decisão da partida depende das suas jogadas.

Os jogadores de futebol têm um grande gasto energético no campo, pois precisam correr de um lado para o outro, driblar os adversários e o principal de tudo, dar o chute certo no gol. Para que tudo saia bem, alguns cuidados são necessários. Por isto, além dos treinos que antecedem a partida, é fundamental que o jogador de futebol cuide da sua alimentação.

Gasto de energia durante o jogo

A posição dos jogadores em campo - atacante, goleiro, lateral, zagueiro ou meio-campo - acarreta gastos de energia diferentes. Assim, o goleiro - que fica a maior parte do tempo em repouso - gasta menos energia (calorias) durante uma partida de futebol, do que os outros jogadores, que correm de um lado para o outro, para dominar a jogada.

Para se ter uma idéia, em geral, o gasto energético de um jogador de futebol, durante uma partida de 90 minutos, é de 750kcal.

Como as perdas durante o jogo são muito altas, é necessário que o jogador reponha o que foi utilizado. Desta forma, a alimentação dos jogadores deve atender às necessidades de energia, hidratação e outros nutrientes, inclusive vitaminas e minerais, para que eles não tenham fadiga, mal-estar ou indisposição durante, ou depois do jogo.

Para o jogador acertar na alimentação

Para a prática de uma atividade física sem danos corporais é imprescindível que o músculo esteja com sua capacidade máxima de energia.

Por isso, o cardápio do jogador deve conter alimentos ricos em carboidratos (pães, massas, barrinha de cereais, biscoitos, frutas e grãos - arroz, milho e trigo). Estes servem de matéria-prima para a produção do glicogênio muscular, que é a primeira e a principal fonte de energia, utilizada durante o exercício físico. Pelo fato dos estoques musculares e hepáticos serem limitados, a reposição de carboidratos deve ser feita de maneira constante, ou seja, antes, durante e depois do treino (ou da partida).

Alimentos ricos em gordura (óleos, azeite, margarina, manteiga, doces cremosos, entre outros) também são fornecedores de energia; mas, como a digestão destes alimentos é demorada, eles devem ser consumidos com moderação, para não prejudicar o desempenho do jogador. A gordura só deve ser usada como fonte de energia, depois que toda reserva de carboidratos esgotar.

As proteínas (presentes em carnes, leite, queijos, iogurte e ovos) são importantes para a formação e manutenção do tecido muscular. É muito importante que o jogador consiga depositar grande quantidade de massa magra (músculo) e reduza tecido gorduroso, para assim, ter uma melhor performance dentro do campo. Desta forma, ele terá melhor capacidade respiratória e condição física para as atividades durante o jogo.

Para que o rendimento do jogador seja total, é necessário que ele se hidrate antes, durante e depois da partida; assim, evitará fadiga muscular e desidratação. Toda água eliminada por meio do suor, deve ser reposta.

FONTE:http://vilamulher.terra.com.br/cardapio-de-jogador-11-1-70-50.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário